terça-feira, março 21, 2006

DIA MUNDIAL DA POESIA

ANTÓNIO REBORDÃO NAVARRO
(Porto, 1933-)

POEMA FINAL
.
Quando eu sair da vida com saudades
Das árvores e dos pássaros,

Do mar, do sol e do vento.

Quando eu deixar a vida com saudades

De ti, dos teus cabelos, dos teus beijos,
Da tua voz e dos teus olhos.
Quando eu perder a vida com saudades
De mim, das minhas próprias dores

E dos meus sonhos,

Espero que tu vás serenamente,

Todos os dias que vierem após a minha morte,
Abraçar as árvores e dizer aos pássaros
Que, certamente, te hão-de escutar,
E repetir ao mar todas as tardes,
Quando o sol também puder ouvir
E o vento te puder beber as palavras,
Que os amei a todos com loucura...
Quero também que saibas
Que entreguei a ti toda a minha vida
Porque em ti havia a elegância
Das árvores que eu amava,
Nas tuas mãos os pássaros mais queridos,
Em teu corpo as brancuras da espuma
E os reflexos da Lua sobre o mar,
Porque em teus lábios havia o sol,
Os ventos e o sabor dos frutos,
E em tudo o que eras
Havia o que de mim eu mais amava.


0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home