terça-feira, fevereiro 07, 2006

EM LOUVOR DOS DIAS EM BUSCA DO NUNCA ALCANÇADO

7 DE FEVEREIRO DE 1975


Convocada pelas maiores empresas da cintura industrial de Lisboa, e com o apoio dos pequenos partidos de esquerda, a manifestação, "Contra o Desemprego", "Contra a NATO", foi alvo, no dia anterior, de uma das maiores, senão a maior, tentativas de desmobilização, já que os principais partidos - PS, PCP, PPD e CDS - foram à televisão e em uníssono repudiaram a convocação da mesma, tendo inclusive um deles dito que "devemos oferecer flores aos soldados da NATO e explicar-lhes a nova realidade portuguesa".
Não obstante a tentativa dos "bombeiros", a manifestação, com início no Marquês de Pombal e passagem pela Duque de Loulé (embaixada dos EUA), chegou ao seu destino - Ministério do Trabalho, na Praça de Londres - com muitos milhares de manifestantes.
Aqui chegados, esperava-nos um batalhão de soldados, fazendo segurança ao edifício.
Das diversas palavras de ordem que se foram ouvindo, ouve duas que a partir da chegada ao MT se fizeram ouvir com mais fulgor: "Marinheiros e soldados também são explorados" e "Os soldados são filhos do povo".
Os soldados, que se encontravam de frente para o edifício e com as G3 ao alto, mantiveram-se assim durante bastante tempo, até que, para nosso espanto, aconteceu o inacreditável: VIRARAM-SE DE FRENTE PARA A MANIFESTAÇÃO; AS G3 DEIXARAM DE ESTAR AO ALTO E AS DIVERSAS PALAVRAS DE ORDEM USADAS PELOS MANIFESTANTES PASSARAM TAMBÉM A SER GRITADAS POR ELES.

Ao longo destes 30 anos tenho contado este episódio a diversas pessoas e os mais jovens dizem-me que isto não aconteceu, que será uma cena de algum filme que vi.
Não foi no cinema, não foi nenhum filme, foi na vida real e se hoje, aproveitando este espaço, aqui o recordo é porque não consigo, passados todos estes anos, deixar de me emocionar com esta recordação, lembrando também alguns amigos que ali estiveram e que infelizmente já nos deixaram - o Rabeca, por exemplo, que por sinal fazia anos a 7 de Fevereiro.

Quiseram tirar-nos o direito a ter uma pátria melhor - e estão-no conseguindo, pois que muitas das conquistas deste tempo estão a ser-nos roubadas -, mas este dia não mo roubam: IRÁ COMIGO ATÉ AO FIM, ATÉ QUE A TERRA SE ENCARREGUE DE ME COBRAR O QUE ME TEM DADO.

Posted by Picasa

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home