terça-feira, novembro 15, 2005

LUIS FERNANDO VERISSIMO

COMÉDIAS PARA SE LER NA ESCOLA
.
De vez em quando gosto de reler Verissimo, neste caso o Luis Fernando, o tal que o ex-presidente do Brasil, Fernando Henrique Cardoso, dizia não conhecer, pois que para ele só havia um Verissimo, o Erico, como sabem, o pai do Luis Fernando. Ele lá teria as suas razões, más, decerto. Por boas razões, e porque hoje se comemora a proclamação da República do Brasil, publicamos estes dois contos:
.
O HOMEM TROCADO
.
O homem acorda da anestesia e olha em volta. Ainda está na sala de recuperação. Há uma enfermeira do seu lado. Ele pergunta se foi tudo bem.
- Tudo perfeito - diz a enfermeira, sorrindo.
- Eu estava com medo desta operação...
- Por quê? Não havia risco nenhum.
- Comigo, sempre há risco. Minha vida tem sido uma série de enganos...
E conta que os enganos começaram com seu nascimento. Houve uma troca de bebés no berçário e ele foi criado atá aos 10 anos por um casal de orientais, que nunca entenderam o facto de terem um filho claro com olhos redondos. Descoberto o erro, ele fora viver com seus verdadeiros pais. Ou com sua verdadeira mãe, pois o pai abandonara a mulher depois que esta não soubera explicar o nascimento de um bebé chinês.
- E o meu nome? Outro engano.
- Seu nome não é Lírio?
- Era para ser Lauro. Se enganaram no cartorio e...
Os enganos se sucediam. Na escola, vivia recebendo castigo pelo que não sabia. Fizera o vestibular com sucesso, mas não conseguira entrar na universidade. O computador se enganara, seu nome não apareceu na lista.
- Há anos que a minha conta do telefone vem com cifras incríveis. No mês passado tive de pagar mais de R$ 3 mil.
- O senhor não faz chamadas interurbanas?
- Eu não tenho telefone!
Conhecera sua mulher por engano. Ela o confundira com outro. Não foram felizes.
- Por quê?
- Ela me enganava.
Fora preso por engano. Várias vezes. Recebia intimações para pagar dívidas que não fazia. Até tivera uma breve, louca alegria, quando ouvira o médico dizer:
- O senhor está desenganado.
Mas também fora um engano do médico. Não era tão grave assim. Uma simples apendicite.
- Se você diz que a operação foi bem...
A enfermeira parou de sorrir. Apendicite? - perguntou, hesitante.
- É. A operação era para tirar o apendicite.
- Não era para trocar de sexo?
.
***************
.
PAPOS
- Me disseram...
- Disseram-me.
- Hein?
- O correcto é «disseram-me». Não «me disseram».
- Eu falo como quero. E te digo mais... Ou é «digo-te»?
- O quê?
- Digo-te que você...
- O «te» e o «você» não combinam.
- Lhe digo?
- Também não. O que você ia me dizer?
- Que você está sendo grosseiro, pedante e chato. E que eu vou te partir a cara. Como é que se diz?
- Partir-te a cara.
- Pois é. Parti-la hei de, se você não parar de me corrigir. Ou corrigir-me.
- É para o seu bem.
- Dispenso as suas correcções. Você se esquece-me. Falo como bem entender. Mais uma correcção e eu...
- O quê?
- O mato.
- Que mato?
- Mato-o. Mato-lhe. Mato você. Matar-lhe-ei-te. Ouviu bem?
- Eu só estava querendo...
- Pois esqueça-o e pára-te. Pronome no lugar certo é elitismo!
- Se você prefere falar errado...
- Falo como todo mundo fala. O importante é me entenderem. Ou entenderem-me?
- No caso... não sei.
- Ah, não sabe? Não o sabes? Sabes-lo não?
- Esquece.
- Não. Como «esquece»? Você prefere falar errado? E o certo é «esquece» ou «esqueça»? Ilumine-me. Me diga. Ensines-lo-me, vamos.
- Depende.
- Depende. Perfeito. Não o sabes. Ensinar-me-lo-ias se o soubesses, mas não sabes-o.
- Está bem, está bem. Desculpe. Fale como quiser.
- Agradeço-lhe a permissão para falar errado que mas dás. Mas não posso mais dizer-lo-te o que dizer-te-ia.
- Por quê?
- Porque, com todo este papo, esqueci-lo.

2 Comments:

At 09:27, Blogger segurademim said...

... de esquecimento em esquecimento-lo, de troca-la em troca, lá ficou o outro sem o que importa!!
ahahahahah
Valeu :)

(o jantar foram castanhas fritas com pequenos pedaços de lombo de porco, regados com sumo de limão)

Beijo

 
At 09:39, Anonymous Marley said...

Adorei ler LFV (verídicos) no teu BLOG !!!
Parabéns pelo bom gosto...

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home