terça-feira, outubro 25, 2005

IRAQUE

SOLDADOS AMERICANOS MORTOS

Infelizmente, este gráfico, publicado na edição de hoje do Diário de Notícias, já não é actual. Onde diz «quase dois mil mortos [...]» deve ler-se «2000 mortos», não sabendo eu se estarei sendo rigoroso - sabe-se lá quantos já terão morrido desde que iniciei este post?
Não é pelo facto de este drama nos entrar todos os dias pela casa dentro que o devemos encarar como normal. Estamos a falar dos mortos de uma das forças invasoras - a principal -, sem nos esquecermos dos mortos das outras forças, invasoras ou cúmplices (no fundo também invasoras) e então os invadidos, quantos já morreram? Alguém me dizia que andará por volta dos 30 000, sem esquecer, de nenhum dos lados, os estropiados.
Encontrando-se Saddam no banco dos réus, num tribunal sob a égide dos estado-unidenses e não, por exemplo, no Tribunal Penal Internacional, pergunto: o que falta para que todos os criminosos desta guerra, desta invasão, com Bush à frente, sejam também julgados, acusados de crimes contra a humanidade e de terem destruído um país e atirado milhões de seres para a maior das misérias?
(Clique no gráfico para aumentar.)

1 Comments:

At 22:56, Blogger Armando S. Sousa said...

Caro amigo David,
As suas interrogações são o pão nosso de cada dia das pessoas de boa vontade deste Planeta minúsculo. Mas George W. Bush e a sua "entourage" sabia muito bem o que estava a fazer quando pediu imunidade no TPI, porque senão já há muito tempo que estaria sentado no banco dos réus. Lamentável, não a atitude dos países sub-desenvolvidos que precisam dos EUA como pãp para a boca, lamentável como estava a dizer é a atitude da UE, e de mais meia dúzia de países que podiam confrontar essa posição.
Se nos lembrar-mos de Nurembega, teremos que ser coerentes, como dizia Noam Chomsky, todos os Presidentes americanos pós Segunda Guerra Mundial, deveriam responder por crimes de guerra.
Desculpe o longo comentário.
Um grande abraço.
PS. Não sei se tem erros, mas não vou corrigir, foi seguido.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home