domingo, outubro 09, 2005

DIA DE ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS


CAMPO DE JOGOS DO ATLÉTICO CLUBE
DE PORTO SALVO


Foi com grande entusiasmo que meu pai, dirigente desde sempre do Atlético, viu esta pedra ser colocada no velhinho e exíguo campo de Adriano Canas no já longínquo ano de 1989.
Na altura, disse-lhe, mais ou menos: «olhe, pai, não acredite nesta nova promessa; cá por mim, Isaltino ainda vai ter de ser eleito mais três vezes até o Atlético ter campo novo.»
A sua paixão pelo Atlético não o levou a acreditar nas minhas palavras e fez um ligeiro comentário, de cujo conteúdo já não me lembro bem mas que ia mais ou menos neste sentido: «lá estás tu com as tuas coisas.»
Felizmente, meu pai ainda aí está, com os seus 81 anos saudáveis, podendo deixar testemunho da veracidade do que digo.
Entretanto, passaram-se 16 longos anos desde que esta pedra foi lançada e meu pai tem visto ser sucessivamente adiado algo com que sempre sonhou, não porque veja nisso uma mera satisfação pessoal, fruto de algum tipo de vaidade, mas porque considera que é absolutamente necessário criar condições para que a juventude de Porto Salvo veja no Atlético uma agremiação com que pode contar para a necessária prática desportiva, deixando de se dedicar exclusivamente ao futebol e criando as condições para que jovens com vontade de praticar outros desportos a eles tenham acesso.
Depois de 1989, Isaltino já foi eleito mais duas vezes e Teresa Zambujo, a actual presidente da Câmara, já leva pelo menos três anos de mandato. Um ou o outro aprestam-se para assumirem os destinos da Câmara.
Desejando que nem um nem o outro sejam eleitos para decidirem dos destinos do concelho, já que os considero as duas faces da mesma moeda, foi com alguma expectativa que acreditei que o PS apresentasse um candidato que lhes pudesse fazer frente. Não sei com que obscuras intenções, o Partido Socialista não o quis. Provavelmente já ficam satisfeitos com uns vereadores e alguns pelouros. (Apenas um aparte para dizer que considero não ser o Partido Socialista o ideal para dar a grande varridela que o concelho precisa - afinal não estiveram os vereadores do PS praticamente sempre ao lado das decisões do executivo?) Não, não há aqui nenhuma contradição, para já o importante seria tirar o PSD - secos ou molhados - da presidência.
Assim, será que a minha profecia se concretiza - eleição de Isaltino (ou será que, no afã de «pagar as despesas da campanha», mais uma vez o Atlético fica para trás) - ou, no caso de ser Teresa Zambujo a eleita, quantos anos teremos de esperar?
Permitam-me um palpite: qualquer dos eleitos, Isaltino ou Zambujo, irão dar o pelouro do Desporto a um vereador da oposição e o mesmo se encarregará de demonstrar que há outros projectos mais importantes, à semelhança do que aconteceu no passado - vide Porto de Recreio de Oeiras, dito Estádio Municipal, mas que só serve a ADO, etc., e o Atlético, passivamente, continuará a aguardar. (Até parece que os impostos pagos pelas gentes do litoral têm mais valor do que os do interior.)
(Foto retirada do blogue portosalvo.blogspot.com)

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home